Tem coisas que a gente lembra assim, no meio do mercado, andando de bicicleta. Detalhes que reanimam e inspiram, e sem nos darmos conta, lá se escapa um sorriso…

É a minha mãe quem dirige o carro azul alugado por aqueles 4 dias. Aqueles, lembra?  Vou de co-pilota e dona Helena de fotógrafa no banco de trás. No CD, Doce Vampiro, uma Rita Lee de três gerações. Aumento o volume. Arrepia minha mãe, arrepio eu, e arrepiará a irmã quando em alguns anos relembrar, num flash assim de inesperado, esse mesmo dia. Cantamos alto e contamos cada uma um momento com essa trilha sonora, em tom de quase segredo. À nossa volta, Montserrat e o melhor da geografia catalã, um céu laranja e uma fila de carros sentido Barcelona. Já nos sentimos conhecedoras das estradas e estamos tão vacinadas contra as paisagens descobertas pelo caminho que, só nos importa esse momento. A delícia de estarmos as três juntas passeando sem hora de sair ou chegar, escutando o que sugerir o shuffle. Click. Uma fotografia mental.

Anuncios